domingo, 21 de agosto de 2011

O Amor nunca morre...

O amor nunca morre de morte natural.
Morre porque o matamos ou o deixamos morrer!
Morre envenenado pela angústia.
Morre eletrocutado pela sinceridade.
Morre atropelado pela grosseria. Morre sufocado pela desavença.
...Morre com um beijo dado sem ênfase. Um dia morno. Uma indiferença. Uma conversa surda.
Morre porque queremos que morra. Decidimos que ele está morto. Facilitamos seu estremecimento!
O fim do amor não será suicídio. O amor é sempre homicídio!

Fabrício Carpineja


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentario e volte sempre que quiser ! A sua opinião é livre mas não aceito insultos às minhas postagens e fotos, e se eu escrever errado ou pegar informações com direitos autorais aviise de forma respeitável.
Obrigada !

Em cada sorriso...

Postagens populares